terça-feira, abril 24, 2007

GRANDES CONSUMIDORES: AS CRIANÇAS




[Foto:Revista Época]
As crianças são presas fáceis das campanhas publicitárias.Quem tem filhos ou sobrinhos vai entender o que quero dizer. Nos anos 80, as crianças eram repentinamente raptadas para outra dimensão, a do consumismo. Os comerciais da época, eram como conto de fadas, elas queriam os brinquedos “ESTRELA”, a bicicleta “Caloi” e a boneca Barbie. Eram hipnotizadas pelo slogan: “Compre Batom, compre Batom, seu filho merece Batom...”. Essas marcas detinham o posicionamento na mente do consumidor mirim. Os pequenos gigantes têm grande poder de influenciar as decisões de compra, muitas das vezes fazem os pais gastarem o que não têm.

Enquanto isso na liga da justiça... ou melhor, enquanto isso na Banda do Marketing*... pessoas trabalham arduamente para garantir a vantagem competitiva no mercado infantil. Atualizam as ofertas de produtos, produzem comerciais atraentes, criam canais de comunicação, desenvolvem sites interativos, enfim, estão suando a camisa, vale tudo para não deixar escapulir pelos dedos o público-alvo.

Falar em criança, não é só falar em brinquedos, elas sabem o que querem: escolhem o que vão vestir, calçar, comer, e, até celular. O consumismo infantil é estimulado sem dúvida, pelas personalidades da TV através de propagandas. O maior problema está no tempo em que elas passam em frente da televisão, em média, cinco horas diárias.

Se por um lado isso é preocupante para os pais, por outro, é uma tendência do mercado. Elas estão amadurecendo precocemente devido à velocidade da informação. Por conta disso, A Banda do Marketing na mesma velocidade, usam estratégias e argumentos para atingir tanto os pais quanto as crianças, levando em consideração é claro, a ética no marketing.

Ressalto a ética, porque devido à competitividade do mercado, o marketing tem sido utilizado como uma ferramenta capaz de mudar o comportamento do consumidor. Atualmente, há um abuso irremediável das propagandas, algumas são enganosas, prometem aquilo que não podem cumprir. Campanhas publicitárias com essa filosofia são produzidas pela banda podre do marketing, cujo objetivo é empurrar goela baixo produtos, muitas das vezes de péssima qualidade.

Não importa as iguarias postas à mesa. Queremos consumir a verdade e o respeito.

Com informações do Jornal do Commércio - RJ

*A Banda do Marketing: obra registrada por Lena Casas Novas. Reúne dissertações que abordam assuntos a respeito da percepção do consumidor comum para as táticas e estratégias implementadas no mercado de tendências.

Vamos bebemorar o texto lá no Bar do Escritor

7 comentários:

José Manuel Dias disse...

De férias?! Para quando um novo post?

Bjs

José Manuel Dias disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Samir Osório disse...

eu vi numa reportagem que tinha uma nova lei para propagandas onde nao poderia ser feito propaganda do tipo onde falava para as crianças pedirem para os pais ou etc como é o caso do biscoito trakinas...

Tony disse...

Concordo com o texto, hoje nos falta um pouco de ética, esta fica de lado quando os gerentes das contas nas agencias e/ou os gerentes de mkt nas empresas nos cobram resultados, pra manter o capital girando... a regulamentação vem em breve, vamos ver como tudo se sai... bjs!

Anônimo disse...

www.mundodomarketing.com.br

Thiago disse...

Esse assunto foi pincelado no documentário "The Company". Tenho a adicionar que o foco no marketing, em vez de no produto, traz a grande desvantagem de você nunca saber exatamente o que está comprando, e muito menos a criança. Assim sendo, se vêem muitas propagandas que encantam crianças e adultos, peças lindas de publicidade, propaganda e marketing, mas, do ponto de vista do consumidor, são engodos. E não há nada mais fácil que enganar crianças, pois sua inocência e sua necessidade de integração social começam a se delinear junto com seu livre-arbítrio.

Parabéns pelo blog. Prometo outras visitas!

a propósito, www.estulto.weblogger.com.br é o meu blog. Esteja convidada para tomar um cafezinho comigo!

Beijo!

Anônimo disse...

bom comeco