segunda-feira, fevereiro 27, 2006

SUAS IDÉIAS TÊM VALOR!


O texto abaixo é baseado em fatos reais.

Em uma pequena cidade do Nordeste, na década de 80, poucas crianças tinham brinquedos produzidos em fábricas. Como os pais não tinham recursos financeiros suficientes para comprá-los, as crianças se conformavam com os artesanais. A maioria das crianças produzia seus próprios brinquedos: carrinhos de lata, bonecas de pano, panelinhas de argila, pipas, etc... Tudo variava de acordo com a criatividade de cada um. Um dos entretenimentos, também, eram as brincadeiras de roda, amarelinha, corridas, "esconde-esconde" etc, todas se divertiam.

Das crianças da época, quero destacar a Tina, de apenas 8 anos de idade, uma menina muito criativa e inovadora. Ela tinha um espírito de equipe brilhante, era uma ótima líder e grande empreendedora. Os senhores devem estar pensando...Quantas atribuições a uma única menina! De fato, todas essa atribuições vêm de berço devem apenas ser exercitadas.

Às vezes quando ela passava em frente de uma vidraçaria, que ficava próxima da sua casa, ficava de olho em alguns vidros coloridos que são colocados em igreja. Certo dia entrou na vidraçaria e pediu a um dos funcionários, pedaços daquele vidro colorido, levou de todas as cores e em diferentes formatos. A Intenção ela fazer um brinquedo, desta vez, de vidro...

Ela tinha mania de fazer recortes de revistas. Pegava as fotos mais coloridas e interessantes recortava e guardava no seu acervo de recortes. Como toda criança, era uma colecionadora. Uma das suas coleções prediletas era um álbum de figurinhas. Para colecionar tinha que comprar obviamente as figurinhas, muitas das vezes seus pais não tinham dinheiro para dar. Partindo desta necessidade ela teve uma idéia. Pegou todo os seus recortes de revistas e começou a colar nos vidros coloridos, transformou-os em quadrinhos de obra de arte, segundo sua imaginação.

Pediu sua mãe para levá-la à feira. Seus pais tinham uma barraca de frango na feira do bairro em que moravam. Quando chegou da escola, foi à feira com a mãe e levou toda as suas obras de arte para vender. Público-alvo: Adultos. Ela mesma determinou-o, dizia que crianças de sua idade não tinham dinheiro para comprar, mas os adultos sim.

Levou 20 peças, vendeu tudo para os fregueses da barraca da sua mãe, hoje seria R$ 1,00 cada uma. Quando chegou em casa fez mais peças para vender no outro dia. Tina ficou tão maravilhada com o sucesso das suas obras de arte que quebrou sua regra, a de não vender para crianças de sua idade.

As 15 peças que fizera para vender no outro dia levou-as para suas amigas comprarem. Mas o brilho do seu produto estava ficando ofuscado, uma das meninas, a mais velha, de 11 anos, disse para outras que era fácil de fazer, bastava pegar vidros da vidraçaria e colar fotos de revistas que o quadrinho ficava pronto. Então as meninas optaram em não comprar, mas fazer também. Vendeu apenas duas peças para as primeiras que mostrou. Os quadrinhos viraram febre entre as meninas do bairro até que perdeu a graça.
Tina ficou muito frustada, triste e deprimida, pois sua idéia genial tinha sido "roubada", a grande sacada de Tina foi criar algo que pudesse ser vendido facilmente para adultos, a fim de suprir a necessidade de comprar figurinhas para completar seu álbum. É claro que os quadrinhos eram simples de fazer. Os adultos que compraram de Tina, só valorizaram suas peças por terem sido feitas por uma criança.
Toda idéia tem valor, não importa qual necessidade ela satisfaça.Valorize a sua!

Nenhum comentário: